Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 20 de Outubro de 2020

Policial

Quadrilha é desarticulada e 7 são presos em ação conjunta entre policiais de MS e DF

Os traficantes usavam o dinheiro para comprar os caminhões utilizados no transporte da droga, fazendo a lavagem do dinheiro

Midiamax

19 de Agosto de 2014 - 11:19

A Polícia Civil de MS (Mato Grosso do Sul), em conjunto com a polícia do DF (Distrito Federal), desarticulou uma quadrilha envolvida com tráfico de drogas em, no mínimo, quatro Estados brasileiros. A operação que prendeu sete envolvidos teve início em fevereiro.

De acordo com os delegados responsáveis, Jorge Antonio Chein Pires, da Cord (Coordenação de Repressão a Drogas) do DF, e João Paulo Sartori, da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) de MS, os traficantes agiam em Goiás, DF, MS e também em Estados do Nordeste.

Clodoaldo Antônio Felipe, de 38 anos, detento da Penitenciária de Aparecida de Goiânia, comandava a quadrilha. Joselaine Gomes Lourenço, de 34 anos, agia como mediadora. Ela fazia contato com o preso e viajava para negociar compra e venda da droga, que era transportada em caminhões, dirigidos por Welson Iedo Lamonie Liares, de 34 anos.

Na segunda-feira (18), a Polícia Civil prendeu, em Ponta Porã, Gilberto Dembinki, de 44 anos, conhecido como “Alemão”. Ele é funileiro e a apreensão da droga foi feita na frente do seu estabelecimento, onde estava o caminhão. Ele também foi apontado como batedor. O veículo estava carregado com ração, para despistar a polícia, e a droga foi escondida dentro de um fundo falso na cabine.

Os traficantes implantaram uma cabine dentro da boleia do caminhão, onde esconderam os 400 quilos de maconha. Além dos presos em Ponta Porã, outros dois envolvidos, Romemike e Marcelo, foram detidos em Sidrolândia. Romemike foi preso há um mês com 20 quilos de pasta base de cocaína e Marcelo preso há 10 dias com 1,2 mil quilos de maconha em um caminhão. Foi através do monitoramento dos dois que os policiais identificaram a quadrilha.

O delegado Jorge Antônio afirma que a quadrilha teria rendimento de R$ 1,5 milhões. Os traficantes usavam o dinheiro para comprar os caminhões utilizados no transporte da droga, fazendo a lavagem do dinheiro. A polícia diz acreditar que há outros veículos envolvidos no esquema da quadrilha, além dos dois caminhões que já foram apreendidos.

Também foi preso Aderci Divino do Carmo, de 45 anos. Ele foi detido em Aparecida de Goiânia por envolvimento com a quadrilha. De acordo com a Polícia Civil, todos os envolvidos já têm passagem por tráfico de drogas e são considerados de alta periculosidade.