Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 19 de Outubro de 2021

Policial

Taxista é salvo por celular ao levar tiro em assalto

O crime aconteceu por volta das 16h30de ontem. O taxista recebeu uma ligação de um falso cliente para uma corrida de um posto até a área central de Maracajú

Sidnei Bronka/Região News

22 de Dezembro de 2010 - 09:11

O taxista Ergulano Pereira Fernandes , de 56 anos, morador em Maracajú, foi salvo por portar um aparelho de telefone celular na cintura onde levou um tiro, durante uma tentativa de assalto. A vítima viveu momentos de terror. Três douradenses foram presos.

O crime aconteceu por volta das 16h30de ontem. O taxista recebeu uma ligação de um falso cliente para uma corrida de um posto até a área central de Maracajú. Ergulando foi até o local combinado por telefone. O falso cliente, identificado pela polícia como sendo o douradense Alexsandro Atenhouzer, de 29 anos, albergado do Regime Sem-aberto em Dourados, mudou a rota e pediu para que o taxista buscasse um amigo dele no trevo que liga Maracajú a cidade de Itaporã. A vítima estava com um veículo pálio, com placas de Maracajú.

Em determinado momento o condutor de um veículo Gol, prata, com placas HTZ 6940 de Dourados, que seguia atrás, começou a dar sinal de luz para que o taxista parasse. A vítima notou que poderia ser uma armadilha e iniciou uma discussão com o falso passageiro. Segundo a polícia Alexsandro sacou da cintura uma arma e confessou que se tratava mesmo de um roubo. A vítima acelerou o carro até 180 quilômetros por hora e manteve a alta velocidade.

Disse que se o assaltante atirasse ele perderia o controle do carro e ambos morreriam. O assaltante insistiu para que a vítima parasse o veículo e diante da negativa efetuou um disparo de arma de fogo. O taxista foi mais rápido e bateu na mão do assaltante. O tiro acertou o parabrisa do carro. O acusado efetuou novo disparo, desta vez na região da cintura da vítima, que portava um celular. O tiro atingiu somente o aparelho. Neste momento ambos estavam próximos a cidade de Itaporã. O veículo Gol, que fazia a perseguição ao taxista capotou e o assaltante teria fugido a pé.

O taxista, teria conduzido o carro para o acostamento, mas o veículo caiu numa lavoura de soja. Alexsandro correu para um lado, enquanto o taxista para outro. A vítima pediu um telefone emprestado para condutores que passavam pelo local e acionou a Polícia Militar de Maracajú. A PM fez a prisão de três envolvidos: Alexsandro, que foi preso com uma arma calibre 38, Rodrigo Bronzer Capelari, de 25 anos, que estava indo socorrer Alexsandro numa moto Dafra, com placa de Dourados e Fabiano Marques Viana, de 23 anos. Este último teria locado o veículo Gol, utilizado para perseguir o taxista. O condutor conseguiu fugir após capotar o carro.

Todos foram encaminhados para a cadeia pública de Maracaju.