Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 23 de Abril de 2024

Política

Arroyo foi “traído” por sete deputados na eleição do TCE

Arroyo também assinou seu requerimento, mas foi impedido de participar da votação por ser parte interessada.

Campo Grande News

15 de Junho de 2011 - 13:31

Das 15 assinaturas que constavam no requerimento da candidatura do deputado estadual Antônio Carlos Arroyo (PR), para disputa da vaga de conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado), somente sete se concretizaram em voto, na eleição realizada na manhã desta quarta-feira (15), na sessão da Assemblea Legislativa.

Arroyo também assinou seu requerimento, mas foi impedido de participar da votação por ser parte interessada.

Durante o pleito, dois deputados votaram contra a candidatura de Arroyo e outros 15 optaram pelo voto em branco, que não são computados ao resultado.

De acordo como a reportagem,  assinaram a lista e votaram no Arroyo os deputados: Marquinhos Trad (PMDB), Paulo Duarte (PT), Later Tetila (PT) e Pedro Kemp (PT), Londres Machado (PR) e Paulo Corrêa (PR) e Mara Caseiro (PTdoB).

Os deputados que assinaram, mas não votaram em Arroyo foram Jerson Domingos (PMDB), Maurício Picarelli (PMDB), Cabo Almi (PT), Felipe Orro (PDT), George Takimoto (PSL), Lauro David (PSB), Onevan de Matos (PSDB).

Após a votação de Arroyo, o deputado Marquinhos Trad (PMDB) afirmou que o regimento da casa legislativa apontava que a votação para escolha do conselheiro seria por maioria dos votos e que os voto em brancos não seriam computados em desfavor de Arroyo, o que o tornaria eleito por 7 votos contra 2.

No entanto, o presidente da Assembleia, Jerson Domingos, rejeitou a argumentação e solicitou que a observação de Marquinhos constasse em ata e deu seguimento a votação da proposta do nome da senadora Marisa Serrano (PSDB) para a vaga de conselheira do TCE, requerimento que foi aprovado por 20 votos favoráveis, um contrário e dois em branco.