Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Política

Câmara adia para quarta debate sobre crise da Santa Casa

MS Notícias

04 de Abril de 2011 - 15:05

Os vereadores transferiam para a sessão ordinária de quarta-feira (5), a discussão sobre a crise da Santa Casa, quando a ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande) irá fazer uma reunião para expor a sua versão sobre o que está ocorrendo hoje no maior hospital do Centro-Oeste.

O espaço foi aberto pelo presidente da Câmara, vereador Paulo Siufi (PMDB), a pedido do vereador Athayde Nery (PPS), que acompanhado pelo vereador Dr. Loester (PDT), estiveram reunidos na manhã de sexta-feira (1º de abril), com os membros da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), que perdeu a administração da Santa Casa para a Junta Interventora, em 2005.

A reunião, que ocorreu na Casa de Leis, contou com a participação de Wilson Telesco, presidente da ABCG e dos demais membros da Associação, como Carmelino Rezende, Normann Kallmus, Joelson Chaves de Brito e Percio Ailton Tozzi.

De acordo com Carmelino, “a Junta tinha por propósito recuperar a Santa Casa e era uma boa proposta na época. A finalidade era intervir e depois devolver aos antigos mantenedores. Seis anos se passaram e a situação piorou, o que buscamos agora é o apoio dos vereadores para termos forças para derrubar a intervenção, pois entendemos que do jeito que está eles estão matando o povo", afirmou Carmelino durante a reunião. A participação, na terça-feira, promete ser emblemática, definida como "um ato de coragem". A proposta é trazer todos os abusos e explicar todas as denúncias que a mídia mostrou com imagens.

A luta por melhorias nas condições de atendimento da Santa Casa sempre foram a bandeira do vereador Dr. Loester, que atua na Santa Casa há mais de 30 anos e desde que assumiu como vereador sempre se posicionou desta forma por conhecer a realidade diária do hospital.

O presidente Paulo Siufi destacou que “o vereador Dr. Loester é a pessoa certa para falar sobre isso, porque a vida dele é a Santa Casa. Depois de tudo que ouvimos e vimos ficou claro que ninguém tem problemas com a Junta, o que se pretende realmente é tentar verificar as cinzas que ficaram da Santa Casa, para compor uma proposta legítima capaz de devolver a saúde à Santa Casa”, afirmou Siufi.

Siufi afirmou ainda que “até agora todos os relatórios apresentados e as visitas que fizemos deixaram claro que o momento demonstra que a cidade vive uma insegurança muito grande com relação à saúde, porque todo e qualquer cidadão que sofra qualquer tipo de acidente acaba indo para a Santa Casa, porque não tem outro lugar e por se tratar de um hospital de referência na saúde, principalmente pelo seu corpo clínico”, alertou o parlamentar.

Durante a reunião Carmelino fez questão de destacar que “o formato Intervenção foi um modelo apropriado àquele momento, mas que já demonstrou que hoje não é mais um sistema saudável. Temos outras propostas para melhorar a situação da Santa Casa. Oferecendo subsídios aos vereadores e à opinião pública será possível uma maior possibilidade de uma decisão acertada”, disse.

O chefe do Legislativo irá abrir as portas da Casa de Leis e irá receber os membros da ABCG na terça-feira, para que todos os vereadores tenham a oportunidade de conhecer a visão dos mantenedores. “Como a Câmara é a caixa de ressonância da sociedade, espero a participação expressiva da população e de todos os meios de comunicação para que a sociedade tenha as informações necessárias e possam participar do processo de manifestações que esta Casa vai tomar”, revelou Siufi.

Para Paulo Siufi, este será um momento que deve ser desdobrado em audiência pública para que outros também tenham a possibilidade de manifestar sua opinião em busca de uma solução não paliativa, mas sim definitiva. Todos forma unânimes em dizer que a intervenção ocorreu por uma suposta falha na administração, mas o que se vê foi que piorou e agora é preciso chamar à ordem, pois "contra fatos não existem argumentos", afimou Siufi.