Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Política

Câmara terá 1º vereador cadeirante da história; Adavilton Brandão

Como vereador, pretende focar sua atuação na adoção de leis e projetos de acessibilidade.

Flávio Paes/Região News

17 de Novembro de 2020 - 14:39

Câmara terá 1º vereador cadeirante da história; Adavilton Brandão
Adavilton Brandão (ao centro) durante caminhada com Daltro Fiuza. Foto: Reprodução/Facebook

Uma das “caras novas” da futura legislatura, que terá 12 vereadores estreando no exercício da atividade parlamentar, é Adavilton Brandão, eleito com 350 votos; primeiro cadeirante na história política da cidade a compor o legislativo municipal.

Depois de vencer o desafio das urnas que superou com uma campanha, que segundo ele, gastou míseros R$ 3.500,00, recurso usado para recrutar 5 cabos eleitorais, “todos deficientes físicos”, em que gratificou cada um com R$ 200,00, Adavilton terá de enfrentar outro desafio para cumprir com seu trabalho e receber seus principais incentivadores, que são pessoas que dependem de uma cadeira de roda para se locomover.

Quando estiver definida a nova presidência da Câmara, vou pedir a ele que faça estas adequações. Instale o elevador para facilitar o acesso aos gabinetes no 2º pavimento", Adavilton Brandão.

"No pavimento superior funcionar o setor do administrativo. O poço para o equipamento foi construído junto com o anexo inaugurado há 5 anos. É necessário construir rampas de acesso ao plenário, não só para atender deficientes físicos, mas também os idosos”, explica.

Cadeirante há 6 anos, sequela de um acidente de carro que o deixou tetraplégico aos 33 anos, Adavilton diz que o projeto da candidatura surgiu praticamente às vésperas do encerramento do prazo de filiação partidária para quem quisesse disputar a eleição este ano. Seu nome foi escolhido numa votação entre os filiados da Supera, suplantando o nome de Peterson Lacerda que foi colocado como alternativa para a disputa.

Como vereador, pretende focar sua atuação na adoção de leis e projetos de acessibilidade (rampas de acesso, calçadas sem degraus e piso tátil nas calçadas) inserção econômica e social de deficientes físicos, inclusão das crianças com a prática de modalidades paradesportivas com esporte adaptado nas escolas.

Escolheu se filar ao MDB a convite de Daltro Fiúza, que comprometeu, caso fosse eleito, implementar a acessibilidade urbana com ações voltadas também para o idoso, o obeso e para a gestante. “Todos utilizam as calçadas. É necessário garantir vagas de estacionamento nos espaços públicos, nas ruas e estabelecimentos comerciais”, concluiu.