Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 23 de Abril de 2024

Política

Decisão sobre vaga no TCE ocorre no próximo dia 15, segundo Jerson

A informação foi dada na manhã desta quinta-feira (2) pelo presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos (PMDB)

Gilmar Lisboa

02 de Junho de 2011 - 14:33

O nome que ocupará a cadeira deixada no TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) pela ex-conselheira Celina Jallad, morta em fevereiro, será conhecido no próximo dia 15. A informação foi dada na manhã desta quinta-feira (2) pelo presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos (PMDB). 

Ele não disse, no entanto, como será feita a escolha entre os nomes do deputado estadual Antônio Carlos Arroyo (PR) e da senadora Marisa Serrano (PSDB), únicos pretendentes a ingressar no TCE, por enquanto: se com base no regimento da Assembleia, que atribui unicamente àquela Casa a decisão, ou se através de um acordo com o governador André Puccinelli (PMDB), grande interessado em participar do processo.

Jerson falou que já na próxima semana, entre terça e quinta-feira, provavelmente será dado o “pontapé inicial” na disputa, com a abertura das inscrições para os interessados em participar do processo. Ele lembrou que para poder disputar a vaga aberta com a morta de Celina, os candidatos deverão ter no mínimo oito votos a seu favor na Assembleia.

Nesta quinta-feira, Puccinelli também se manifestou sobre a disputa para o posto aberto no TCE. Ele disse que já na segunda-feira as primeiras providências acerca da questão deverão ser tomadas.

O governador lembrou que, na última quarta-feira, se reuniu para tratar do imbróglio com Arroyo, que teria garantido já possuir as assinaturas que lhe dariam o direito de ingressar no TCE – são necessárias 13 rúbricas ou a metade mais um dos membros do Legislativo.

Puccinelli ressaltou que nesta quinta-feira se reuniria com Jerson para tratar da questão. Ele não disse, no entanto, se vai influenciar diretamente da escolha do novo membro do TCE. Pelo contrário, ele  tem feito mistério acerca do imbróglio. 

Se apoiar Marisa para o posto vago no Tribunal, o governador tirará de seu caminho um empecilho considerável nas disputas políticas que seu grupo enfrentará em 2012 e 2014. Neste último ano, inclusive, Puccinelli garantiria que a senadora não o atrapalharia na corrida ao Senado.

No caso de apoiar Arroyo, o governador garantiria a abertura de uma vaga na Assembleia ao ex-deputado e atual assessor especial do governo Youssif Domingos (PMDB), derrotado em 2010 na tentativa da reeleição para aquela Casa. Nos últimos dias, Puccinelli tem dito que a volta de Youssif ao Legislativo é uma de suas principais prioridades no momento.