Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Julho de 2021

Política

Governo e Assomasul tentam crédito extraordinário para socorrer áreas submersas

Willams Araújo

10 de Março de 2011 - 17:56

O governador André Puccinelli (PMDB) reúne-se na próxima segunda-feira (14) com os prefeitos e com a bancada federal para discutir uma saída para os impactos decorrentes dos temporais que caíram no Estado nos últimos dias.

Um dos principais trunfos do governo e dos municípios durante a reunião, que ocorrerá às 14h no plenário da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) é recuperar os valores das emendas parlamentares que foram cortados dentro das medidas de contenção de gastos decretadas pela presidente Dilma Rousseff.

As medidas de contingenciamento do governo federal trouxeram um prejuízo de R$ 101 milhões para o Estado, valores referentes a emendas de bancadas. 

 

Em relação às emendas individuais, os parlamentares deixaram de indicar R$ 5,75 milhões para investimento em obras em suas bases eleitorais como parte do contingenciamento de R$ 1,82 bilhão no orçamento da União.

 

O facão do governo federal também atingiu em cheio o setor rodoviário, que deixará de obter R$ 35 milhões para manutenção na BR-262; de R$ 25 milhões na manutenção no trecho entroncamento BR-163 na saída de Dourados-Nova Andradina-BR-376; e de R$ 21,1 milhões no trecho Divisa PR/MS – Divisa MS/MT, na BR 163.

 

O outro corte em emenda da bancada de Mato Grosso do Sul foi de R$ 20 milhões para a instalação de espaços culturais.

 

Antes do encontro da próxima semana com o presidente da Assomasul, Jocelito Krug (PMDB), e prefeitos, o governador passou esta quinta-feira em Brasília na tentativa de agilizar a liberação de recursos para os municípios afetados pelo grande volume de chuva que despencou em Mato Grosso do Sul.

 

Krug passou a semana ligando para os prefeitos visando uma avaliação do estrago causado nesse período do ano e colocou a Assomasul a disposição de todos. Segundo ele, em aproximadamente 10 municípios, houve queda de pontes, aterros e o estado das estradas é precário, tornando-as intransitáveis.

 

Krug alerta os prefeitos para uma ação conjunta com aos governos estadual e federal, para que haja um esforço no sentido de socorrer os municípios que se encontram com sérios problemas de desabrigados, estradas intransitáveis, pontes caídas, inundações, sem contar os prejuízos iminentes com a safra de grãos.

 

De acordo com a Defesa Civil, o Estado tem 67 mil desabrigados e desalojados até o momento. A previsão do tempo é de mais chuvas em várias regiões de Mato Grosso do Sul, o que pode aumentar ainda mais o número de desabrigados.

 

O governo do Estado declarou na quarta-feira situação de emergência e determinou o envio de alimentos, água e roupas, além de antecipar o pagamento do programa Vale Renda em seis municípios.

 

São 4.199 benefícios antecipados, no valor de R$ 608.855,00, em Anastácio, Aquidauana, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Miranda e Ribas do Rio Pardo.

 

O governador também fez uma nova solicitação para a liberação de R$ 9.654.479,20 para oito municípios que haviam declarado situação de emergência em virtude das chuvas, granizo e vendaval em outubro de 2010.

 

Segundo Puccinelli, apenas ¼ dos recursos solicitados foram liberados.

 

VALE RENDA

 

Na quarta-feira, o governador declarou situação de emergência e determinou o envio de alimentos, água e roupas, além de antecipar o pagamento do programa Vale Renda em seis municípios.

 

São 4.199 benefícios antecipados, no valor de R$ 608.855,00, em Anastácio, Aquidauana, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Miranda e Ribas do Rio Pardo.

 

O governador também fez uma nova solicitação para a liberação de R$ 9.654.479,20 para oito municípios que haviam declarado situação de emergência em virtude das chuvas, granizo e vendaval em outubro de 2010.

 

Segundo Puccinelli, apenas ¼ dos recursos solicitados foram liberados.