Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Política

Indicação para vaga no TCE permanece na estaca zero

Midiamax

01 de Junho de 2011 - 13:24

Embora a vaga no Conselho do TCE (Tribunal de Contas do Estado) tenha sido debatida há pelo menos 90 dias, a Assembleia Legislativa ainda não chegou a um consenso quanto ao nome de quem vai ocupar o lugar deixado pela conselheira Celina Jallad, que morreu no fim de fevereiro passado, vítima de aneurisma abdominal.

Nesta manhã, os deputados se reuniram com o presidente da Casa, Jerson Domingos, do PMDB, por quase uma hora. Havia uma expectativa de o assunto ser definido, mas isso não aconteceu.

Jerson Domingos disse que marcou para amanhã uma audiência com o governador André Puccinelli, seu colega de partido. Ontem, o deputado Antonio Carlos Arroyo disse ter conversado sobre o assunto com o governador.

Logo no início dos diálogos, Arroyo aparecia como o principal candidato à vaga. O nome do deputado Maurício Picarelli, outro peemedebista, também foi cogitado, contudo, com empolgação menor que a do republicano.

No meio das conversas, surgiu à informação indicando que Puccinelli queria a nomeação da senadora Marisa Serrano, do PSDB. Daí, o debate passou a gerar polêmica. É que os deputados acham que quem deve apontar o nome do novo conselheiro, é a Assembleia, não o governador.

Arroyo disse ter o apoio de 16 deputados. Marisa Serrano, segundo o presidente da Assembleia, não o procurou para pedir apoio ainda.

No encontro com Puccinelli, Jerson Domingos disse que vai abrir a inscrição aos concorrentes a vaga na segunda-feira. Arroyo é o único, ao menos por enquanto, que garantiu que vai disputar um dos cargos mais cobiçado, o de conselheiro do TCE, cujo salário supera a casa dos R$ 20 mil e é vitalício.