Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Política

Partidos dão carta branca para Murilo vetar indicados para cargos

O Progresso

08 de Fevereiro de 2011 - 10:00

A primeira reunião entre o prefeito eleito Murilo Zauith (DEM) com os 15 representantes de partidos aliados, reafirmou autonomia do novo chefe do Executivo para a escolha da equipe de transição e novo secretariado. O encontro aconteceu na manhã de ontem na Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados).

De acordo com o assessor do prefeito eleito, o advogado Valter Carneiro Júnior, uma ata assinada por todos os presidentes das legendas do bloco vitorioso, foi assinada na manhã de ontem. No documento consta o consenso entre os aliados dando total autonomia para a escolha do grupo de transição, que deverá ser apresentado a prefeita interina Délia Razuk (PMDB) ainda esta semana.

Outra decisão é a de que Murilo tem o aval e autorização de todos os aliados para tomar qualquer medida administrativa na Prefeitura de Dourados, sejam elas enérgicas ou não.

Um terceiro ponto abordado e o mais aguardado foi em relação ao novo secretariado. De acordo com a ata assinada, o prefeito eleito também tem autonomia para escolher os novos secretários, podendo inclusive rejeitar indicados pelos partidos. Quanto a isso, Carneiro adianta que Murilo busca formar uma equipe de técnicos para cada pasta da Prefeitura.

Segundo ele, a prioridade é definir a equipe de transição. A partir daí, outros desdobramentos acerca do secretariado deverão ser divulgados. O assessor também não informou nenhum nome que vai fazer parte da nova administração municipal.

Ele disse que hoje Murilo entrega a prestação de contas da campanha no Cartório Eleitoral. A partir daí o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) tem 10 dias para aprovar o relatório. A próxima etapa é a diplomação, que pode ser feita até o dia 28 de fevereirro conforme calendário eleitoral. A Câmara de Vereadores vai definir a data da posse do prefeito. Segundo informações poderá haver antecipação na posse do prefeito para se resolver questões no Legislativo, como a eleição da nova Mesa Diretora.

A prefeita interina Délia Razuk, que é a presidente da Câmara, precisa voltar ao Legislativo para disputar a presidência. Ela luta na Justiça para conseguir o direito de disputar o cargo. Com a saída de Délia para o Legislativo, a Câmara busca empossar Murilo o quanto antes.

De acordo com o presidente da Câmara, Dirceu Longhi (PT), os vereadores vão aguardar dois resultados antes de realizar as eleições para escolha da nova Mesa Diretora da Câmara. O primeiro diz respeito aos resultados das Comissões Processantes que podem cassar vereadores e com isso habilitar outros para concorrer à Mesa Diretora. O outro está relacionado ao recurso impetrado pela vereadora Délia Razuk para concorrer ao cargo de presidência da Câmara.

Ela entrou na Justiça após o juiz José Domingues Filho considerar improcedente o pedido dela para “impedir novas eleições para a Mesa Diretora da Câmara, confirmando seu mandato legal de dois anos para o exercício da presidência da mesa diretora e sua manutenção na interinidade do cargo de Prefeita Municipal até a solução definitiva para a sucessão municipal”. A decisão ocorreu no dia 28 de janeiro. Na ocasião o juiz entendeu que o pedido contraria a Lei Orgânica do Município e o regimento Interno da Câmara.