Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Outubro de 2021

Política

PMDB quer candidato próprio, mas não descarta apoiar aliados em 2012

Campo Grande News

01 de Abril de 2011 - 16:53

Durante convenção estadual do PMDB, que acontece até amanhã no plenário da Assembléia Legislativa, lideranças do partido defendem a candidatura própria para prefeito de Campo Grande nas eleições do ano que vem. No entanto, a possibilidade de apoiar aliado não está descartada.

Três nomes são apontados como pré-candidatos do PMDB à prefeitura: o secretário estadual de Habitação e das Cidades, Carlos Marun; o vereador Paulo Siufi e o vice-prefeito Edil Albuquerque.

A opinião das grandes lideranças do partido é que a candidatura própria é o caminho ideal. Mas que o apoio a um forte candidato também é uma opção. O deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) é um dos nomes cotados para um possível apoio no pleito de 2012.

“Não podemos fechar a porta, porque seria como dizer ‘vocês servem para nos apoiar e nós não damos preferência a vocês’”, explicou o governador André Puccinelli, referindo-se ao apoio histórico entre PMDB e PSDB.

“Se o candidato melhor for de outro partido, ele será o candidato de todos”, frisou Puccinelli.

Por outro lado, há quem defenda ainda mais a candidatura própria do PMDB. “Tomara que seja eu”, destacou Marun. O secretário comentou ainda que, caso o PSDB decida não apoiar e lançar candidato próprio, que a disputa, entre o partido e o PSDB, seria “interessante”.

Ele adiantou que na próxima semana, os três pré-candidatos do PMDB vão se reunir para definir os critérios a serem adotados nas pesquisas quantitativas e qualitativas, que irão decidir pelo nome que será lançado na disputa.

Sobre a possível saída de Siufi do PMDB – o vereador chegou a declarar que se for preterido na escolha, deixaria o partido – o prefeito Nelson Trad Filho abrandou a situação. “Este não é o melhor caminho. Até porque muita água ainda vai rolar”, destacou Nelsinho.

O presidente estadual do partido, Esacheu Nascimento, também chamou atenção para a sensatez. “Ainda é muito cedo para negociações. Só no ano que vem teremos um cenário mais definido”, tranquilizou.

Evento – Até amanhã, membros do PMDB participam da convenção estadual, que acontece no plenário da Assembleia Legislativa. Filiados de 50 municípios estão em Campo Grande, onde discutem eleições municipais, valorização da sigla e briga por mais recursos para as cidades.

Participam do evento o presidente em exercício do PMDB, senador Valdir Raupp; o presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Eliseu Padilha; o senador Waldemir Moka; deputado federal Geraldo Resende; além de deputados estaduais, vereadores e o ex-governador do Paraná, Roberto Requião.