Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 27 de Janeiro de 2022

Política

PMDB vence queda de braço com PT pela direção da Funasa

A vaga no Incra, a pasta mais polêmica entre os órgãos federais com representação no Estado, deve ainda enfrentar debates acalorados

Conjuntura On-line

11 de Maio de 2011 - 13:50

Se, por um lado, emplacou a presidência da Funasa, a secretaria-executiva e uma diretoria ligada ao meio ambiente da pasta em nível federal, o PT perdeu a queda de braço que travava com o PMDB para comandar a representação do órgão em Mato Grosso do Sul.
 
A decisão sobre a permanência do peemedebista Flávio Brito da Costa Neto na superintendência da Funasa em MS se deu num jantar ontem à noite em Brasília, do qual participaram o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o líder do PMDB na Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), e o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci.
 
A manutenção de Flávio Brito à frente da Funasa em MS encerra, assim, um embate que durou várias semanas envolvendo peemedebistas e petistas do Estado.
 
Cargos em aberto

Equacionadas as indicações para a Funasa e a pasta do Trabalho e Emprego - esta última decidida no começo do mês com a indicação do pedetista Anízio Pereira Tiago (ex-Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) para comandá-la -, as siglas partidárias, entre elas o PMDB, o PT e o PDT, se voltam agora às disputas pelas direções da Eletrosul, Ibama e Incra no Estado.

Alguns dos principais postulantes a esses cargos são, por ordem, o ex-deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT); Carlos Longo, da cota do ex-governador Zeca do PT, e Tatiana Ujacow, também do grupo de Zeca.
 
Pasta polêmica
 
A vaga no Incra, a pasta mais polêmica entre os órgãos federais com representação no Estado, deve ainda enfrentar debates acalorados. É que nos últimos meses o órgão, que está sem titular desde agosto de 2010, esteve em evidência na área policial em função de uma série de irregularidades descobertas na forma de se administrar recursos que chegavam para a Reforma Agrária em MS.
 
O impasse tem atrasado projetos na área previstos para principalmente municípios com vocação agrícola. O imbróglio até hoje tenta ser resolvido, sem sucesso, pelo governador André Puccinelli (PMDB), principal interessado na indicação, urgente, de um novo titular para a pasta.