Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 5 de Dezembro de 2020

Política

PSDB vai concentrar secretarias estratégicas e Saúde fica com o vice-prefeito

No caso específico da Saúde, o futuro prefeito vai resgatar o compromisso de campanha de entregar o comando da pasta ao vice-prefeito eleito Marcelo Ascoli.

Flávio Paes/Região News

20 de Novembro de 2012 - 09:21

Embora tenha contemplado três partidos aliados no 1º escalão (PP, PT e PSL), o PSDB, partido do prefeito eleito Enelvo Felini, além de comandar as cinco secretarias estratégicas que concentram mais de 70% do orçamento municipal (Finanças, Educação, Saúde, Infraestrutura e Serviços Urbanos), terá ainda uma sexta Secretaria, a de Desenvolvimento Econômico, para acomodar o vereador Di Cezar, que não conseguiu se reeleger.

No caso específico da Saúde, que concentra mais de 15% da receita líquida (por força da emenda constitucional 29), o futuro prefeito vai resgatar o compromisso de campanha de entregar o comando da pasta ao vice-prefeito eleito Marcelo Ascoli, médico pediatra que é funcionário de carreira.

Até o dia 05 de dezembro, quando pretende anunciar o restante da equipe de assessores mais diretos, o prefeito terá em mãos um parecer jurídico que definirá se a enfermeira Ana Lídia, esposa de Marcelo, pode ser indicada secretária de Saúde. Em princípio sua indicação é vetada pela lei do anti-nepotismo, que no âmbito municipal proíbe o prefeito, vice e os vereadores, nomear parentes para cargos em comissão.

Se o parecer for contrário à nomeação, o secretário será o próprio Marcelo Ascoli. Nesta entrevista ele fala sobre compromisso de campanha que o prefeito eleito tem com ele e aborda também de forma genérica, as linhas gerais do trabalho que pretende desenvolver para ampliar e melhorar a qualidade no atendimento. Clique no player e assista.