Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 2 de Agosto de 2021

Política

Sessões especiais para cassação têm datas definidas pelas Comissões Processantes

Há ainda rumores que durante a semana podem acontecer novas renúncias. Alguns vereadores estariam preparando suas cartas abrindo mão do cargo

Doura News

11 de Março de 2011 - 17:09

Já estão definidas as datas para as sessões especiais que julgarão os pedidos de cassação dos vereadores afastados após o desencadeamento da operação Uragano (furacão, em italiano). Dos nove vereadores envolvidos, Sidlei Alves e Zezinho da Farmácia renunciaram ao cargo, enquanto Claudio Marcelo Machado Hall, o Marcelão, foi cassado em sessão especial ocorrida antes do Carnaval.

As próximas sessões prometem esquentar o clima na Câmara Municipal e o primeiro vereador a enfrentar o julgamento será Marcelo Barros (DEM), na próxima segunda-feira (14), às 9 horas. Ele foi denunciado pela Comissão Processante (CP) que tem como presidente o vereador petista Elias Ishy de Matos, como relator, Juarez de Oliveira (PRB), o Juarez Amigo do Esporte e como membro, o democrata Pedro Alves de Lima, “Pedro Pepa).

Na terça-feira (15), às 9 horas, será a vez de Aurélio Luciano Pimentel Bonatto, denunciado [denúncia 5332/2010] pela CP composta pelos vereadores Laudir (presidente), Elias Ishy (relator) e Cido Medeiros (membro).

Também na terça-feira, às 14 horas, vai a julgamento o vereador José Carlos Cimatti (PSB), através da denúncia 5324/2010, na CP que tem como presidente o vereador Jucemar Arnal, como relator, Albino Mendes e como membro o vereador Bebeto.

A sexta sessão especial será na quarta-feira (16), às 9 horas, cuja denúncia nº 5329/2010 leva a julgamento o vereador Humberto Teixeira Júnior (PDT), sendo a comissão composta pelo presidente Cido Medeiros, pelo relator Walter Hora e pelo membro, Juarez Amigo do Esporte.

Na quinta-feira (17), às 14 horas, através da CP formada pelos vereadores Elias Ishy (presidente), Laudir (relator) e Cido Medeiros (membro), irá a julgamento, como réu, o vereador Júlio Luiz Artuzi (PRB), através da denúncia nº 5326/2010.

A oitava e última sessão especial acontecerá na sexta-feira (18), às 9 horas, tendo como réu o vereador Paulo Henrique Amós Ferreira (DEM), Bambu, apontado na denúncia 5328/2010 pela CP formada pelos vereadores Bebeto (presidente); Albino Mendes (relator) e Gino José Ferreira (membro).

Todos os processos tiveram como denunciantes “Cidadãos e Eleitores em Abaixo Assinados” e a tendência é que as sessões especiais atraiam um grande público às dependências da Câmara de Vereadores de Dourados.

Expectativas

Os julgamentos que acontecerão durante toda a semana vêm despertando interesse de grande parte da população douradense, principalmente de entidades que apresentaram as denúncias pedindo a cassação dos vereadores afastados. Para o empresário Romen Barleta, as sessões serão uma confirmação oficial do que já aconteceu na prática. “A sociedade douradense já julgou e não os aceita mais como seus representantes”, diz Barleta, acrescentando que, a seu ver, “eles serão cassados e, se não o forem, o povo irá cobrar isso do Legislativo, pois não confia mais nessas pessoas para estarem compondo a nossa Casa de Leis”, completou.

Há ainda rumores que durante a semana podem acontecer novas renúncias. Alguns vereadores estariam preparando suas cartas abrindo mão do cargo, para desta forma fugir ao crivo de um julgamento, principalmente depois do resultado da sessão que cassou o vereador Marcelão, quando três vereadores se abstiveram de votar alegando ser parte interessada (fazer parte da mesma coligação do julgado) e os nove restantes votaram, todos, pela cassação.