Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 22 de Maio de 2022

Política

Simone Tebet diz que MDB ainda estuda articulação e reitera apoio a André Puccinelli

Senadora afirmou que cenário político no MS é incerto, mas que seguirá as propostas apresentadas pelo partido

Midiamax

18 de Janeiro de 2022 - 14:20

Simone Tebet diz que MDB ainda estuda articulação e reitera apoio a André Puccinelli
Foto: Midiamax

A senadora Simone Tebet (MDB) ainda aguarda as definições do partido em Mato Grosso do Sul, mas reforçou que seguirá em apoio a candidatura de André Puccinelli (MDB) para o Governo do Estado. A informação foi confirmada ao Jornal Midiamax na última segunda-feira (18). Porém, Tebet evitou falar sobre articulações, deixando os comentários a cargo do presidente do partido, Junior Mocchi, a apresentação de propostas para 2022.

Segundo a senadora, o cenário político no MS ainda é instável, de forma que não caberia definições sobre parceiros que vão estar alinhados na caminha política futuramente. Segundo ela, a única certeza é que André Puccinelli é o pré-candidato a majoritária estadual e segue em apoio a ele.

"Ainda é muito cedo para falar sobre as costuras políticas no Estado, mas desde sempre fui emedebista e reitero o apoio ao André Puccinelli", disse à reportagem.

Simone relatou, ainda, que o MDB não descarta possibilidade de andar com nenhum partido. Mesmo sendo opsição, até o PSDB entrou na jogada depois que Eduardo Rocha (MDB) - esposo de Tebet - assumiu o cargo como secretário da Casa Civil.

A propósito, questionada sobre a reeleição do marido, a parlamentar esquivou e pontuou que essa é uma decisão cabe apenas a ele, mas que apoia se o companheiro não queira mais entrar na disputa política.

"São 12 anos dentro do parlamento estadual e está na hora de voltar para casa, mas não interfiro na descisão dele e é exatamente por isso que damos certo. Às vezes, eu te digo que ele não vai sair, e daqui um mês a história é outra. Então, até o momento, é que o Eduardo Rocha não disputará a reeleição", explicou a senadora.