Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 18 de Abril de 2021

Política

TRE/MS detecta falhas na prestação de contas do ex-prefeito Daltro Fiuza

Daltro que no registro da sua candidatura fixou um teto de gastos de R$ 4 milhões, gastou menos de 7, 5%, conforme a prestação de contas apresentada.

Flávio Paes/Região News

11 de Novembro de 2014 - 14:21

O ex-prefeito Daltro Fiúza foi um dos 22 candidatos a deputado federal e estadual na última eleição (17 eleitos e 5 como ele, que não se elegeram) junto com a senadora eleita Simone Tebet, teve as contas de campanha analisada pela Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul).

Conforme a edição do Diário Oficial da Justiça Eleitoral desta terça-feira (11), os candidatos têm 72 horas para se manifestarem sobre as “impropriedades apontadas no relatório preliminar emitido pela Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria”.

Daltro que no registro da sua candidatura fixou um teto de gastos de R$ 4 milhões, gastou  menos de 7, 5%, conforme a prestação de contas apresentada Justiça  Eleitoral. O ex-prefeito declarou que arrecadou e gastou R$ 300.841,21. Com estes gastos, cada um dos 9.440 votos que obteve, tiveram um custo per capita de R$ 31,86.

Desde total, R$ 73.500,00 foram recursos próprios.  A senadora eleita Simone Tebet contribuiu com R$ 25 mil; o deputado federal eleito Carlos Marun, assegurou R$ 25 mil, enquanto o empresário Acelino Cristaldo,que foi candidato a prefeito do PMDB em 2012, contribuiu com R$ 11.250,00.

Algumas empresas que prestaram serviço à Prefeitura de Sidrolândia na época que Daltro era prefeito fizeram doações para sua campanha; a Digito B, doou R$ 50 mil; e Global, Posto de Combustível, ajudou com R$ 3.236,11. Duas indústrias instaladas na cidade também ajudaram: a JBS, com R$ 33 mil  e  a Rio Pardo Bio Energia, entrou com R$ 10 mil.

Na “lista negra” do TRE/MS das prestações de contas com irregularidades estão a dos os deputados federais eleitos Tereza Cristina (PSB), Carlos Marun (PMDB) e Márcio Monteiro (PSDB); deputados estaduais Zé Teixeira (DEM), Antonieta Amorim (PMDB), Cabo Almi (PT), Renato Câmara (PMDB), Júnior Mochi (PMDB), Flávio Kayatt (PSDB), Maurício Picarelli (PMDB), Ângelo Guerreiro (PSDB), Amarildo Cruz (PT), Grazielle Machado (PR), Pedro Kemp (PT), Mara Caseiro (PTdoB), Eduardo Rocha (PMDB) e Paulo Corrêa (PR).

Ainda aparece entre os candidatos com prestação de contas impugnadas a senadora eleita Simone Tebet. Também constam cinco candidatos derrotados: ex-prefeito de Sidrolândia Daltro Fiuza (PMDB), Antônio Vaz (PRB), André Salineiro (PSDB), vereador de Campo Grande Coringa (PSD) e Professor Bittencourt (PRB).

Enelvo

Já o ex-prefeito Enelvo Felini declarou arrecadação e gastos no total de R$ 240.431,00, montante correspondente a 12% do que projetou gastar quando registrou sua candidatura a deputado estadual. Como obteve 9.532 votos, com este orçamento, cada sufrágio saiu por  R$ 25,22.

O diretório regional do PSDB contribuiu com R$ 50 mil; o presidente do diretório municipal do partido em Sidrolândia, Moacir Hernandes, ajudou com R$ 70  mil; o produtor Lúcio Basso doou R$ 49 mil  e Enelvo  aplicou R$ 37 mil dos recursos próprios na campanha.