Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 21 de Fevereiro de 2024

Agronegócio

Com demanda anual de 1 milhão de toneladas, da Inpasa, sorgo pode ser nova alternativa de cultura

O sorgo é uma planta selvagem adaptada às condições áridas e semiáridas, originária do deserto de Saara, na África.

Redação/Região News

10 de Fevereiro de 2024 - 07:55

Com demanda anual de 1 milhão de toneladas, da Inpasa, sorgo pode ser nova alternativa de cultura
Plantação de sorgo no Brasil. Foto: Wenderson Araujo/Sistema CNA.

O anúncio da Inpasa de que terá uma demanda anual de 1 milhão de toneladas de sorgo para produção de etanol em suas unidades de Sidrolândia e Dourados, a forrageira pode ser uma terceira alternativa de cultura em grande escala para os produtores sidrolandenses. Para atender essa demanda seria preciso uma área plantada de 200 mil hectares em todo o Estado.

O presidente do Sindicato Rural, Paulo Stefanello, acredita que seja possível usar a cultura como um plantio complementar da safrinha quando há disponibilidade de 60 a 70 mil hectares que na entressafra da soja não tem cultivo. Outra alternativa é o uso transitório para a renovação de pastagens. Stefanello acredita que o sorgo pode se expandir na região do Quebra Coco, divisa com Terenos.

Com demanda anual de 1 milhão de toneladas, da Inpasa, sorgo pode ser nova alternativa de cultura
Presidente do Sindicato Rural, Paulo Stefanello em entrevista ao Região News. Foto: Lucas Martins/Região News.

O sorgo é uma planta selvagem adaptada às condições áridas e semiáridas, originária do deserto de Saara, na África. Com o tempo, as comunidades humanas começaram a domesticar a cultura, selecionando variedades com características desejáveis, como maior produtividade, resistência a doenças e adaptação a diferentes ambientes.

Com a expansão das rotas comerciais e as migrações humanas, o sorgo foi levado para outras partes do mundo. Os árabes foram responsáveis por sua introdução no Oriente Médio, enquanto os portugueses e espanhóis o levaram para a Europa. Durante os séculos 16 e 17, o sorgo chegou às Américas, trazido pelos colonizadores europeus.

No Brasil, o sorgo foi introduzido no início do século 20, inicialmente para produção de forragem para alimentação animal. A cultura do sorgo ganhou destaque nas Regiões Nordeste e Centro-Oeste, onde suas características de resistência à seca e adaptação a solos pobres foram valorizadas.

Para que serve o sorgo?

O sorgo pode ser usado como planta forrageira (na alimentação de bovinos), granífero, (utilizada para produção de grãos), sacarino (produção de biomassa), para a fabricação de vassouras e biomassa para produzir energia.

“O foco principal hoje, no Brasil, é fabricação de ração animal de ruminantes, caprinos e ovinos, e como forragem”, explica Marco Adriano Chalis Barbosa, coordenador do Grupo de Pesquisa e Extensão em Produção Vegetal e Plantas Daninhas (PRO-HORT) da Esalq/USP.

No Brasil não é comum o uso de sorgo na alimentação humana, mas ele vem ganhando popularidade na indústria de snacks e alimentos processados. “O grão pode ser consumido também de forma natural, um hábito presente em países da África e Ásia”, completa Barbosa.