Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Julho de 2024

CAMPO GRANDE

A partir deste mês, MS terá mais um local para transplante de córnea pelo SUS

Hospital Adventista do Pênfigo, instituição privada da Capital, vai começar operações a partir do dia 20.

Campo Grande News

04 de Junho de 2024 - 09:57

A partir deste mês, MS terá mais um local para transplante de córnea pelo SUS
Entrada para o Hospital Adventista do Pênfigo, na Avenida Gunter Hans, em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo).

A rede de centros transplantadores de córnea que atendem pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) em Mato Grosso do Sul, vai aumentar a partir de 20 de junho, quando o Hospital Adventista do Pênfigo começará a receber as primeiras pessoas para fazer as operações, segundo informou ontem (4) a instituição.

O transplante depende de haver córneas saudáveis doadas pelos familiares de alguém que morreu. Em 2023, essas operações foram as mais realizadas no Brasil, de acordo com dados de janeiro a setembro consolidados pelo Ministério da Saúde.

O novo centro fica dentro da unidade matriz do hospital, localizada na Avenida Gunter Hans, em Campo Grande.

Contrato - A instituição, que é privada, recebeu autorização do Ministério da Saúde para assumir o procedimento pela rede pública em 4 de dezembro do ano passado. Faltava ainda a assinatura de um contrato aditivo, que garantiria repasse de recursos com acréscimo para custear as cirurgias.

Segundo informou ontem a SES (Secretaria Estadual de Saúde), o aditivo foi assinado em 27 de maio. Diz o documento, publicado no Diário Oficial de Campo Grande na data, que o repasse adicional será de R$ 23,3 mil mensais.

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul abriu inquérito civil também no fim do mês passado, onde questiona sobre o andamento das tratativas. Outros locais - Atualmente, o transplante de córnea é feito na Santa Casa e no Hospital São Julião, em Campo Grande.

Clínicas credenciadas fazem no interior do Estado. O Hospital São Julião é o que mais absorve as demandas em Mato Grosso do Sul. No ano passado, 77% das cirurgias foram realizadas lá.