Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Eleições 2020

Custo da campanha caiu 47,94%; Enelvo Felini gastou R$ 20,01 por voto; Daltro Fiúza, R$ 2,40 e Moacyr Almeida, R$ 11,00

Flávio Paes/Região News

22 de Novembro de 2020 - 20:10

Custo da campanha caiu 47,94%; Enelvo Felini gastou R$ 20,01 por voto; Daltro Fiúza, R$ 2,40 e Moacyr Almeida, R$ 11,00
No total os candidatos arrecadaram R$ 447.625,50, um superávit de R$ 205.274,79. Fotos: Marcos Tomé/RN

A julgar pela prestação de contas que os três candidatos apresentaram à Justiça Eleitoral, a campanha para prefeito de Sidrolândia deste ano foi 47,94% mais barata que a da eleição de 2016. Se há 4 anos as despesas somaram R$ 505.570,00, em 2020, os gastos caíram para R$ 242.377,71, uma disputa econômica ao ponto de todos os três postulantes terem fechado o pleito com sobra de caixa, o que pode ser importante porque se o Tribunal Superior Eleitoral confirmar o indeferimento da candidatura de Daltro, em 2021 haverá eleição suplementar. No total os candidatos arrecadaram R$ 447.625,50, um superávit de R$ 205.274,79.

O candidato do PSDB declarou gastos no montante de R$ 181.244,81, como obteve 9.057 votos, cada voto lhe custou R$ 20,01. Daltro Fiúza, gastou per capta de R$ 2,40, considerando seus 10.646 votos, já que declarou despesas no valor de R$ 25.616,30. Moacyr Almeida, terceiro colocado com 3.219 votos, gastou R$ 35.516,60, ou seja, R$ 11,03 por voto.

Enelvo conseguiu arrecadar R$ 325.942,50, terminou a campanha, com R$ 144.697,69. Da receita total captada, 61,36%, R$ 200 mil, vieram do fundo partidário. No âmbito estadual, Felini foi o segundo candidato do partido a receber maior contribuição do diretório regional. Ficou atrás apenas de Roberto Hashioka, que disputou e perdeu a eleição para Prefeitura de Nova Andradina, vencida pelo atual prefeito, Gilberto Garcia.

Conforme o relatório de gastos, disponível no portal da Justiça Eleitoral, dos R$ 181.244,71 gastos por Enelvo, as despesas com a contabilidade da campanha somaram R$ 50 mil; R$ 20 mil foram os honorários para os advogados Guilherme Carnavelli e Patrícia Dal Paz, que entraram com o pedido de impugnação, na 1ª instância, da candidatura de Daltro Fiúza. Os gastos com combustível no Auto Posto Vacaria totalizaram R$ 35.454,31. O empresário Haroldo Calves, dono do posto, contribuiu com R$ 20 mil para a campanha.

O candidato do MDB, Daltro Fiúza, teve como maiores financiadores os produtores rurais Eurico de Souza (R$ 25 mil), Osório Luiz Straliotto (R$ 10 mil) e Valquirio Rossato (R$ 15 mil). Suas maiores despesas, foram com a equipe de comunicação. O empresário Moacyr Almeida, teve como maior financiador, Aroldo Ferreira Correa (R$ 40 mil). Sua maior despesa, foi a ajuda que deu (R$ 2 mil por candidato) para a chapa de vereadores do Patriota que não usou recursos do fundo partidário.