Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 4 de Dezembro de 2020

Policial

Profissional do sexo é preso e acusa vigilante por não pagar programa

O suposto cliente negou a versão do suspeito e informou que ele mesmo acionou a polícia para esclarecer o caso e reaver sua carteira com o dinheiro

18 de Agosto de 2014 - 13:24

No início da madrugada desta segunda-feira (18), a Polícia Militar de Três Lagoas deteve um garoto de programa de 18 anos que acusava o vigilante de uma construção por não pagar por um programa sexual.

O profissional do sexo disse à polícia que após praticar o ato sexual em um container existente no canteiro de obras da empresa Havan, situado na Avenida Ranulpho Marques Leal, ao lado do Parque de Exposições, o cliente – que trabalha no local - não queria pagar o débito de R$ 20,00 e assim, resolveu pegar sua carteira que continha cerca de R$ 205,00 em dinheiro.

A apropriação indébita foi para garantir o pagamento do programa.

O suposto cliente negou a versão do suspeito e informou que ele mesmo acionou a polícia para esclarecer o caso e reaver sua carteira com o dinheiro. Na chegada da Polícia Militar ao local, o garoto tentou fugir com a carteira e foi preso na Rua ao lado, na Eurídice Chagas Cruz.

Os motivos de sua fuga não foram explicados pelo jovem que acabou sendo levado com o vigilante para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (DEPAC) para esclarecimentos. A carteira com o dinheiro foi devolvida ao vigilante.