Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Maio de 2022

Policial

Suspeito é preso com porções de cocaína que venderia por R$ 3,6 mil

A equipe da Polícia Militar fazia patrulhamento de rotina, quando avistou o Astra, branco, placas CPJ-5418 de Ponta Porã

Midiamax

30 de Outubro de 2015 - 10:38

Na noite de quinta-feira (29), por volta das 18 horas, Gemerson Armando Azambuja Kerkhoff, de 34 anos, e Julio Cezar Gonçalvez Azambuja Junior, de 24 anos, foram presos em flagrante por tráfico de drogas. Eles foram detidos na Rua Luiza Ovando, no Monte Castelo, com porções de cocaína que seriam revendidas.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, a equipe da Polícia Militar fazia patrulhamento de rotina, quando avistou o Astra, branco, placas CPJ-5418 de Ponta Porã (MS). Os policiais notaram que o veículo transitava devagar e os ocupantes pareciam procurar uma pessoa ou endereço.

Os militares fizeram abordagem e identificaram os suspeitos como Gemerson e Julio Cezar. De acordo com os policiais, os dois demonstraram muito nervosismo. Ao descer do carro, Gemerson ainda tirou do bolso e jogou no chão três porções de cocaína, totalizando 154 gramas. Questionado sobre a droga, ele revelou aos policiais que comprou o entorpecente por R$ 600 a porção.

Além disso, Gemerson ainda revelou que revenderia a cocaína por R$ 1,2 mil a porção, dobrando o valor de compra. Ele também disse que comprou a droga de um rapaz conhecido como ‘Polaco’. Julio Cezar afirmou que não sabia da existência do entorpecente e Gemerson ainda disse que o rapaz não receberia pela revenda, mas os dois foram detidos em flagrante.

A equipe policial também encontrou R$ 608 em notas na carteira de Gemerson e foi até a casa dele, na Rua Mundo da Lua, no Estrela do Sul. No local, encontraram o Corsa, branco, placas HSC-4050 de Campo Grande (MS), que era de propriedade dele. Em verificação os policiais encontraram R$ 5.610 em notas trocadas e apreenderam o dinheiro.

Durante a abordagem, os policiais ainda relataram que o celular de Gemerson tocou várias vezes e supostos compradores estariam ligando. A droga, o dinheiro e o Astra foram encaminhados para a Depac e os dois suspeitos presos por tráfico de drogas.