Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 14 de Abril de 2024

Política

André se reaproxima do PDT para garantir apoio a Giroto em Campo Grande

Em 2008, o partido apoiou a reeleição do prefeito Nelsinho e esteve na iminência de indicar Dagoberto como vice

Flávio Paes/Região News

03 de Julho de 2011 - 20:52

André  se reaproxima do PDT para garantir apoio  a Giroto em Campo Grande
Andr - Foto: Marcos Tom

A principal liderança do PDT em nível regional, o ex-deputado Dagoberto Nogueira, pode  estar se reaproximando do governador André Puccinelli, abandonando o projeto de aliança com o ex-governador Zeca do PT, na disputa pela Prefeitura de Campo Grande.  André está muito próximo de concluir a articulação de uma ampla frente partidária que vai trabalhar para eleger o deputado federal Edson Giroto (PR) prefeito de Campo Grande.

Além de assegurar o apoio dos aliados tradicionais (PMDB, PSDB, DEM e legendas nanicas), o governador está trazendo de volta à sua base de apoio o PDT, potencial aliado de  uma eventual candidatura do ex-governador Zeca do PT, tirando do páreo o ex-deputado federal Dagoberto Nogueira, que deve ser contemplado com a diretoria-financeira da Eletrosul. 

Em  2008,  o partido apoiou a reeleição do prefeito Nelsinho e esteve na iminência de indicar Dagoberto como vice, mas, ele  acabou preterido pelo então presidente da Câmara, Edil Albuquerque.  Na última eleição Dagoberto  saiu candidato ao Senado no palanque de Zeca quando ficou em quarto  lugar com  20,46% dos votos(481.581 ). 

Passado o período eleitoral o governador  começou a sinalizar  seu  interesse numa reaproximação com o ex-deputado . Um primeiro gesto de  boa vontade de André foi autorizar a cessão de Dagoberto  para a Assembleia, o livrando de cumprir expediente no  Detran, onde é procurador de carreira.

Com o ex-deputado  fora  da disputa municipal, o  campo de alianças para o ex-governador petista fica restrito caso  leve adiante o projeto de uma eventual candidatura à sucessão de Nelsinho. Para construir esta aliança em favor da candidatura de Giroto, o governador não esqueceu de alguns aliados tradicionais como PSDB e o PPS.

André interveio pessoalmente para debelar a crise deflagrada  entre o prefeito da Capital e lideranças dos dois partidos que  criticaram a administração municipal ensaiando o lançamento de candidaturas próprias em 2012. Uma trégua foi firmada e as legendas manterão seus cargos na administração municipal: a Secretaria de Educação e a Fundação de Esporte (o PSDB) e as fundações de Cultura e do Trabalho (o PPS).

Outra preocupação do governador é manter o PSB  na frente partidária que o apoia. O prefeito de Dourados, Murilo Zauith, está deixando o DEM para ingressar no PSB,   que por ser da base aliada da presidente Dilma, facilita a manutenção com o PT na  reeleição de Murilo.  Ele confirmou que foi convidado pelo presidente nacional do partido, governador de Pernambuco Eduardo Campos, para se filiar ao PSB. 

“Eu recebi o convite do PSB {Eduardo Campos} e do PSD (Gilberto Kassab) para me filiar em uma das siglas. Administrativamente o PSB tem mais ministérios, mas estou estudando as proposta. Farei o que for melhor para Dourados”, justifica o ainda democrata.