Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Fevereiro de 2024

Política

Sete deputados continuam "em cima do muro" sobre indicação para TCE-MS

Sete parlamentares já confirmaram que apoiam Marisa para ocupar o cargo de conselheira do TCE

Midiamax

09 de Junho de 2011 - 10:11

Sete deputados votaram nas duas listas para que Marisa Serrano e Antonio Arroyo, postulantes ao conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE), possam concorrer ao cargo. São o tucano Onevan de Matos (PSDB), Lauro Davi (PSB), Maurício Picarelli (PMDB), Diogo Tita (PPS), George Takimoto (PSL), Felipe Orro (PDT) e também o presidente da Casa de Leis, Jerson Domingos (PMDB).

Os postulantes aos cargos agora terão que trabalhar firmemente para conseguir os votos dos seis parlamentares que assinaram as duas listas, além do voto de Alcides Bernal (PP) que não assinou nenhuma delas. O presidente da Casa, Jerson Domingos, só vota caso houver empate.

O deputado Lauro Davi informou à reportagem que votou nas duas listas, pois entendeu que o documento era apenas para permitira a tramitação das candidaturas na Assembleia e não que estaria apoiando um ou outro candidato.

Nessa berlinda para saber quem será o novo conselheiro, teoricamente, as duas frentes estão empatadas com oito deputados cada. Os parlamentares que já se comprometeram verdadeiramente com Arroyo e dizem que não voltam atrás no apoio ao republicano são a deputada Mara Caseira (PTdo B), Marquinhos Trad (PMDB), a bancada do PT – Paulo Duarte, Pedro Kemp, Laerte Tetila e Cabo Almi, além dos correligionários do PR, Londres Macho e Paulo Correa.

Segundo o peemedebista Marquinhos Trad, o seu apoio a Arroyo é irreversível. “O Arroyo me pediu primeiro o voto e eu dei a minha palavra. Não tenho nada contra a Marisa, mas eu dei a minha palavra primeiro ao Arroyo”, explica.

O deputado Paulo Correa disse que a bancada do PR apóia irremediavelmente a candidatura de Arroyo ao TCE e irão votar no correligionário.

Enfática, a deputada estreante Mara Caseiro (PTdo B), que é uma das defensoras de que Arroyo assuma a vaga deixada por Celina Jallad no TCE, disse que a palavra dela é "única e que não volta atrás sobre uma decisão tomada".

Sete parlamentares já confirmaram que apoiam Marisa para ocupar o cargo de conselheira do TCE. Parte da bancada tucana – Rinaldo Modesto, Dione Hashioka , Marcio Monteiro, votam em Marisa , além de Eduardo Rocha (PMDB), Marcio Fernandes (PTdo B) , o democrata Zé Teixeira e o líder do governo Junior Mochi (PMDB).

Teoricamente, Arroyo sairia na frente na disputa em razão de ter protocolado sua indicação para o cargo de conselheiro antes de Marisa, além do mais, ele teria oito apoiadores que não mudariam o voto.

No entanto, o líder do governo, deputado Junior Mochi (PMDB), disse que foi orientado pelo próprio presidente da Casa de Leis a votarem para que tramitasse o nome de Marisa Serrano. Ao ser questionado sobre em quem ele votaria, Mochi foi categórico e disse que votaria em Marisa para o pleito.

Nos corredores da Assembleia muitos já dão como certa a vitória de Marisa Serrano na disputa pelo TCE devido à articulação do governador André Puccinelli (PMDB). "Ele está pressionando e jogando duro", revela um dos parlamentares. Teoricamente, caso Marisa vá para o TCE facilitaria o processo político para Puccinelli nas eleições de 2012 na disputa pela prefeitura de Campo Grande e em 2014 para o Senado.