Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 21 de Fevereiro de 2024

SIDROLÂNDIA- MS

Morre menina de 11 anos vítima de incêndio criminoso em dezembro

Morreu no sábado e foi sepultada neste domingo em Aquidauana, a menina de 11 anos que junto com a irmã de 3 anos, foi vítima de um incêndio.

Redação/ Região News

11 de Fevereiro de 2024 - 19:00

Morre menina de 11 anos vítima de incêndio criminoso em dezembro
Casa que foi incendiada, e onde as meninas moravam com a mãe. Foto: Lucas Martins/Região News

Após dois meses e dois dias de internação na Santa Casa, período em que passou por várias cirurgias e permaneceu em coma, morreu no sábado e foi sepultada neste domingo em Aquidauana, a menina de 11 anos que junto com a irmã de 3 anos, foram vítimas de um incêndio criminoso.

A criança mais nova conseguiu se recuperar das queimaduras e teve alta. Lucas Cáceres Kempener, que incendiou a casa onde as meninas dormiam, ex-namorado da mãe das crianças, foi morto ao reagir à abordagem policial na manhã do último dia 24 de janeiro.

Morre menina de 11 anos vítima de incêndio criminoso em dezembro
Lucas Cáceres Kempener. Foto: Divulgação

 A menina que acabou falecendo, durante o período de tratamento teve o braço direito, parte da perna direita e dos dedos da mão esquerda amputados por causa das queimaduras que atingiram 80% do corpo dela. A criança foi agredida sexualmente e teve traumatismo craniano.

Crime brutal 

Na noite da tragédia, a mãe das crianças as deixou sozinhas em casa, na Rua General Pinho, para cumprir jornada noturna de trabalho na JBS. A investigação concluiu que para se vingar de sua ex-companheira, Lucas após usar drogas e se embriagar, invadiu a casa das vítimas pulando o muro lateral e após agredir, com intenção de matar as crianças, provocou o incêndio criminoso, que resultou em queimaduras gravíssimas nas irmãs.

A mãe das meninas manteve por 3 meses um relacionamento conturbado com Lucas que não aceitava o fim do namoro. Ela contou à Polícia que após o rompimento, o rapaz invadiu por três vezes sua residência, por meio de um muro que divide a casa com um terreno baldio, mesmo local em que ele foi visto por testemunhas no dia do crime empreendendo fuga.

Em uma dessas ocasiões, em um ato de extrema crueldade, o suspeito matou o cachorro das vítimas e o jogou em um terreno abandonado. Ainda de acordo com o relato da mãe das crianças o ex-namorado mantinha em seu celular vídeos de pornografia infantil. Este seria um dos motivos do término do relacionamento.

Ela também descobriu que o criminoso tinha fotos intimas suas em seu celular sem a sua permissão. Em áudios enviados à ex-namorada, Lucas evidenciou uma personalidade ciumenta, controladora e doentia, dizendo que ela iria sofrer e pagar por tudo o que fez com ele. Em outro áudio, o investigado afirma que estava louco, transtornado, que teve sua vida acabada, dizendo a ela para esperar a pior notícia chegar.