Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Policial

Encontrado morto na Máxima, preso matou padrasto queimado em 2013

Preso cumpria pena por homicídio, condenado a 14 anos, em 2013.

Campo Grande News

03 de Novembro de 2021 - 09:28

Encontrado morto na Máxima, preso matou padrasto queimado em 2013
Polícia Civil e pax estiveram na unidade prisional. (Foto: Marcos Maluf)

O preso encontrado morto na manhã desta quarta-feira (03), no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, Raimundo Cordeiro, de 57 anos, cumpria pena por homicídio. Ele foi condenado a 14 anos de prisão por ter esfaqueado o padrasto José Rodrigues dos Santos e depois ateado fogo em uma casa, com a vítima dentro.

Raimundo Cordeiro estava internado na cela 6, do pavilhão 4, ala de saúde da unidade prisional. Ele já tinha histórico de doença pulmonar e na noite de ontem, 02, apresentou dor abdominal. O preso foi medicado, mas nesta manhã, foi encontrado morto por outros detentos.

A perícia e equipe da 3ª Delegacia de Polícia Civil estiveram no local. Após os levantamentos necessários, foi constatado que não havia sinais de violência. O corpo foi levado pela Pax ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal).

Homicídio - Raimundo Cordeiro foi condenado a 14 anos de prisão por ter esfaqueado o padrasto José Rodrigues dos Santos e depois ateado fogo na casa dele, com a vítima dentro. O crime aconteceu no dia 18 de maio de 2013, por volta das 16h, no Jardim Los Angeles.

De início, a polícia apurou que a vítima havia morrido por conta das facadas e que o incêndio foi causado para ocultar provas. Contudo, conforme consta na sentença contra Raimundo, foi o fogo que causou a morte de José Rodrigues.