Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 24 de Junho de 2024

Policial

Polícia pede informações para prender pai acusado de matar próprio filho

Com a decisão de Rogério, Hélio teria tentado, inicialmente, obrigar Rogério a entrar em seu veículo e retornarem para a sua casa, mas Rogério não o atendeu

Correio do Estado

19 de Novembro de 2014 - 16:11

A Polícia Civil de Bataguassu (MS) está à procura de Hélio Campos, 45 anos, acusado de matar o próprio filho, Rogério Vinicius Neves Campos, 23, depois de um desentendimento em um churrasco. Segundo testemunhas, a vítima externou o desejo de não residir mais na casa de seu genitor, Hélio, pois este agredia fisicamente e psicologicamente o filho. Ele está foragido desde sábado (15), data do crime.

Caso

Com a decisão de Rogério, Hélio teria tentado, inicialmente, obrigar Rogério a entrar em seu veículo e retornarem para a sua casa, mas Rogério não o atendeu. Hélio saiu sozinho em seu veículo, e minutos depois retornou ao local onde iniciara a discussão com Rogério, onde o pai ainda mais exaltado exigia que Rogério entrasse em seu carro para irem embora, mas o filho se recusou mais uma vez.

Hélio sacou uma faca que trazia consigo em sua cintura, quando então Rogério tentou fugir, mas logo foi alcançado por seu pai que lhe segurou com um dos braços e com a outra mão desferiu um golpe atingindo seu próprio filho pelas costas, aparentemente, sem nenhuma chance defesa ao mesmo. Rogério morreu no local.

O acusado fugiu em seu veículo, um FIAT/UNO, cor prata, de placas EVG-8592, levando consigo a arma do crime (faca), não sendo mais localizado por policiais Civis e Militares que, imediatamente, passaram a realizar buscas. A autoridade policial representou pela prisão preventiva de Hélio Campos, decretada pelo poder judiciário horas depois, mas o investigado continua foragido da justiça.

A Polícia Civil de Bataguassu pede para quem tiver informações de Hélio Campos, entrar em contato através do telefone (67) 3541-1286 ou pelo e-mail institucional:[email protected], ou ainda pelo próprio site da Polícia Civil/MS. O denunciante não precisa se identificar.